Blog
11
Mai
2020
Design Sprint: O que é e porque utilizá-lo na Gestão COM Pessoas?

Design Sprint: O que é e porque utilizá-lo na Gestão COM Pessoas?

Design Sprint é uma metodologia ágil usada para design de experiência do usuário e design de produto, colocando o negócio, a tecnologia e especialmente, o usuário no centro do processo.

Baseado no Design Thinking, o Design Sprint foi desenvolvido pela Google Ventures, e é aplicado como uma ferramenta prática, com etapas e rituais a serem seguidos para a entrega rápida de um produto ou solução, sempre focado na experiência do usuário. O objetivo é gerar soluções que sejam úteis para as necessidades do usuário, tenham usabilidade simples e gerem uma experiência positiva e, se possível surpreendente.

Essa abordagem baseia-se em três pilares:

  • Empatia: Buscar compreender a visão e o lugar do outro, afim de que a solução desenvolvida possa trazer valor para a realidade do consumidor e não do que se acreditava ser melhor para ele.
  • Colaboração: Produzir de forma multidisciplinar, trazendo diversos olhares e experiências sobre a solução proposta. Ouvindo e dando voz aos envolvidos no projeto.
  • Experimentação: Visa errar o mais rápido possível. Experimenta-se para ver o que dá certo e o que dá errado, assim, é possível corrigir falhas e propor melhorias, diminuindo os riscos e otimizando recursos.


Por que aplicar o Design Sprint na Gestão COM Pessoas?

Uma boa parcela do RH dedica muito tempo para a entrega de seus processos como por exemplo, uma avaliação de desempenho. O RH define os critérios a serem avaliados, faz a aplicação, devolve os resultados aos líderes e equipes e, a partir daí, cria um Plano de Desenvolvimento Indivual (PDI). Mesmo com ferramentas para otimizar o processo, esse tende a ser moroso e o resultado apresentado geralmente não mede mais o desempenho das pessoas naquele momento. Muitas vezes tabém, líderes e equipes não veem valor naquele produto, nem tampouco ele gera resultado real para o negócio. Não estou aqui dizendo que a avaliação de desempenho não é importante, o que quero demonstrar é que muitas vezes dedicamos tempo (do RH e das equipes) e saímos com a sensação de ter sido em vão. Como podemos então utilizar o Design Sprint para nos auxiliar?

A principal questão é que, ao propor um produto o RH precisa voltar o foco para as pessoas, suas necessidades, o impacto da sua solução no dia a dia delas, e qual o resultado para a organização. Assim a area consegue fazer entregas de valor para seus clientes (pessoas e organizações).

Como colocar em prática?

Com o Design Sprint é possível, em um pequeno espaço de tempo, criar um produto ou serviço que esteja focado no negócio, na utilização de tecnologias disponíveis e, principalmente, pensando na experiência do usuário. Basicamente, a metodologia se constitui da reunião de um grupo multidisciplinar para responder questões críticas para o negócio através de design, prototipagem e teste de idéias com usuários, se dividindo em algumas etapas:

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

1. Entender e definir:

Qual é o problema que estou tentando resolver? Buscar a compreensão do problema real é um dos fatores chaves. Aprofundar-se no entendimento do problema é importante para gerar uma solução de valor.

Para quem estou buscando uma solução? Quem são as pessoas que necessitam dessa solução? Equipes, Líderes, Diretoria, Investidores, Clientes? Como eles estão sendo afetados por esse problema e como minha solução será útil para eles?


2. Divergir e Definir

Uma vez definido o problema a ser solucionado (como melhorar o desempenho das equipes) e para quem (para a própria equipe e para o resultado do negócio), é hora de trazer idéias para solucionar do problema.

Existem diversas técnicas que podem ser utilizadas nesse momento como Braninstorm, Crazy 8, entre outras.

Após chegarem em uma solução viável para o momento e segura para testar, é hora de ir para o próximo passo:


3. Prototipar e Validar

Faça primeiramente um protótipo, aplique em uma equipe menor assim, caso identifiquem a necessidade de ajustes, será possível faze-los e reiniciar o teste economizando tempo e recursos.

Faça quantos testes forem necessários até entender que a experiência do usuário está sendo a melhor possível, e quea solução resolve o problema detectado.

Se necessário repita, e sempre utilize a metodologia para aprimorar o produto.


A utilização do Design Sprint pode melhorar os processos do RH, mudando o foco dos processos e produtos para as pessoas, e gerando valor para a área e a organização. No RH Experience você vai viver essa experiência na prática. Uma imersão onde, junto com um grupo multidisplinar e multicultaral, você vai trabalhar um case real. Com o apoio de uma metodologia exclusiva, vocês criarão soluções que serão apresentadas para os clientes. Se você quer ter essa experiência em um ambiente seguro, e com o apoio de mentores de ponta, não perca a próxima edição do RHXP.


Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem


Quer saber mais sobre Design Sprint ou sobre o RH Experience? Deixe seu comentário

Referências:

https://escoladesignthinking.echos.cc/blog/2019/09/guia-design-thinking/

https://dtidigital.com.br/blog/design-thinking/

https://medium.com/maxmilhas-tech/o-que-%C3%A9-design-sprint-e-como-criamos-um-produto-novo-em-3-dias-a1a6d05a9ec


SOBRE A AUTORA:

Amanda Amorim Martins é Consultora de RH com mais de 14 anos de experiência na área de Gestão COM Pessoas. Tem como propósito a co-criação de relações de trabalhos saudáveis nas organizações.

Amanda Amorim Martins

Comente essa publicação